PM dá socos e chutes em mãe de criança autista

23/11/2020 07h58

Fonte: Redação

O segundo-tenente André Luiz Leonel Andrea, comandante do 3º Pelotão em Bodoquena foi flagrado em vídeo de câmeras de segurança dando socos e chutes contra uma mulher que estava algemada. A violência ocorreu dentro do quartel da Polícia Militar de Bonito. A mulher foi algemada no restaurante Rustik, na Rua Dois de Outubro, Vila Donária, em Bonito em 26 de setembro. Após ser colocada na viatura, foi levada ao quartel da PM onde ocorreram as agressões.

Segundo consta em boletim de ocorrência registrado pelos PMs sobre o fato, a mulher teria ameaçado o dono do estabelecimento. Porém consta no mesmo registro que a mulher tem uma filha de 3 anos que é autista e estaria reivindicando ser atendida para levar comida à criança. Foi lavrado que ela teria desacatado os PMs e que estaria embriagada, porém, nas imagens as agressões partem do segundo-tenente.

Mesmo com a mulher algemada, o PM a empurra violentamente contra a parede fazendo com que ela bata as costas. A mulher tenta se defender apenas com os pés ao passo que é agredida com tapas e chutes desferidos pelo policial militar, que apenas para as agressões após uma policial mulher do grupo o impedir que continuasse a sessão violência.

Homens que estão no ambiente e um outro oficial ignoram a mulher sendo agredida. Um deles, escorado no balcão, sequer vira-se para ver a cena. A polícia então, após agredir a mulher, registrou em boletim que ela teria sido presa por ameaça, dano, desacato e embriaguez.

Em nota a Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul informa que no tocante à ocorrência registrada na noite do dia 26 de setembro do corrente ano, no município de Bonito-MS, onde uma senhora de 44 anos foi detida por ser suspeita de cometer os crimes de desacato, danos ao patrimônio, ameaça, resistência à prisão e embriaguez, teve origem após uma equipe policial militar ser acionada para contê-la, em um restaurante daquele município, após a mesma, supostamente, ter ameaçado atear fogo no local, ameaçado de morte os proprietários e quebrado garrafas dentro do estabelecimento comercial.

Ocorre que durante a confecção do Boletim de Ocorrência, a pessoa detida teria se exaltado contra os PMs que atenderam a ocorrência, sendo necessário o uso de algemas e mantê-la dentro do compartimento para condução de detidos, considerando o avançado estado de embriaguez da mesma.

Quanto as imagens que aparecem no vídeo, foi feita uma análise preliminar do conteúdo, identificando o local e militares envolvidos. Imediatamente, o comandante do CPA-3, coronel Emerson de Almeida Vicente, determinou a instauração de um Inquérito Policial Militar (IPM), que é o instrumento legal para investigar fatos dessa natureza.

Envie seu Comentário